Como Identificar a Queda de Cabelo

Como identificar a queda excessiva de cabelo

A alopecia é uma doença pouco diagnosticada de forma precoce porque a maioria das pessoas só percebe o problema quando o cabelo começa a cair em excesso, porém, é possível identificar a queda capilar antes que ela se torna intensa. À medida que surgem maiores espaçamentos entre os fios, é possível notar falhas, caracterizadas pela falta de cabelo ou perda de sua densidade, já que acabam se tornando mais finos.

É preciso diferenciar o cabelo que cai daquele que se quebra. Existem vários tipos de alopecia. Em se tratando da alopecia androgenética, é preciso prolongar a fase de crescimento do fio para que ele nasça mais grosso.

Miniaturização dos fios – perda da densidade capilar

O processo de miniaturização compreende o afinamento do fio até o momento em que ele deixe de nascer. Esse transcurso demanda um tempo considerável, assim, é quase imperceptível.

Nesse estágio, mulheres que tenham cabelo comprido podem começar a notar um maior afinamento dos fios ao fazerem determinados penteados, como o “rabo de cavalo”. Além disso, essas pessoas também podem sentir calor no couro cabeludo.

Texto relacionado: descubra agora quais são os principais mitos e verdades da queda capilar.

Exames para diagnosticar a queda de cabelo

Há diversos exames para que se descubra qual é a causa da queda capilar, como o exame de sangue, o teste genético, a dermatoscopia e o tricograma.

Por meio da dermatoscopia é possível avaliar se o paciente tem apenas uma deficiência nutricional ou se há alguma associação genética. O excesso de alguns compostos também pode apresentar efeito negativo.

O dermatoscópio é um aparelho para análise da pele e couro cabeludo, e dentre suas funções está o diagnóstico da perda excessiva de fios. O equipamento depende de um software, e é conectado a um computador e uma TV. No procedimento, a ponta do aparelho é umedecida e direcionada sobre o couro cabeludo, com isso, é possível ampliá-lo em até 800 vezes. Ao analisar o couro cabeludo de uma pessoa com alopecia androgenética, é possível perceber a prevalência de fios finos sobre os grossos.

Existem testes genéticos de queda capilar fáceis de serem realizados. Para isso, basta coletar a saliva do paciente com o uso de um cotonete, inserir em um tubo e encaminhar para a análise. Entretanto, essa identificação não é 100% garantida, já que nem todos os genes foram mapeados até o momento.

Texto relacionado: confira algumas super dicas para ter cabelos mais saudáveis.

Calvícies feminina e masculina

Atualmente os especialistas discutem a possibilidade de utilizar diferentes nomeações para a calvície genética de homens e mulheres. A feminina, normalmente marcada por alterações hormonais, seria chamada de “alopecia padrão feminino”, enquanto que a masculina, sinalizada pela alta quantidade de receptores da enzima 5-alfa-redutase, seria intitulada “alopecia androgenética”.

Morte do bulbo capilar

Depois do início da alopecia androgenética, o indivíduo tem aproximadamente cinco anos para tentar reverter o processo e impedir a morte do bulbo capilar. Esse período é um valor médio, já que com o avanço da calvície ele tende a diminuir. Por essa razão, quanto mais rápido for o diagnóstico da alopecia, melhor será o tratamento.

Créditos: Remédio para crescer cabelo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *